imagem que representa a logomarca do Dr. André Ferrari
imagem que representa um ícone de relógio HORÁRIO DE ATENDIMENTO
Segunda a sexta: das 8h às 18h

Diagnóstico e estadiamento do câncer ósseo: o que você precisa saber

Postado em: 01/05/2023

Geralmente, os sintomas apresentados por um paciente, o exame físico, o exame de imagem e os exames de sangue sugerem a presença de um tumor ósseo. Mas na maioria dos casos, os oncologistas ortopédicos precisam confirmar esta suspeita realizando uma biópsia.

Isso porque outras doenças, como infecções ósseas, podem causar alterações nos exames de imagem e os resultados serem confundidos com câncer ósseo. Por isso, o diagnóstico exato de um tumor ósseo depende de uma combinação de informações: localização do câncer, aspecto na radiografia e aparência sob o microscópio.

Como uma única metástase óssea pode apresentar os mesmos sinais que um tumor ósseo primário, muitos médicos solicitam também uma biópsia para diagnosticar uma possível metástase óssea de um paciente.

estadiamento do câncer ósseo

Histórico clínico e exame físico

Durante a consulta com o ortopedista oncológico, o profissional realiza algumas perguntas sobre o histórico clínico do paciente e explora possíveis sintomas para avaliar se existe alguma alteração que possa indicar um tumor ósseo. No exame físico é possível sentir também uma massa tumoral.

Se durante o exame o médico suspeitar de algo, provavelmente solicitará mais testes para concluir o diagnóstico de um câncer ósseo.

Estadiamento dos tumores ósseos

Estadiamento é o processo para determinar a localização e a extensão do câncer presente no corpo de uma pessoa. É a forma como o médico determina o avanço da doença no organismo de um paciente.

Para a maioria dos tipos de câncer, como o tumor ósseo, os médicos utilizam informações que ajudam a planejar o tratamento e a determinar o prognóstico do paciente. Embora cada caso seja diferente um do outro, cânceres com o mesmo estadiamento tendem a ter prognósticos homólogos e, muitas vezes, são tratados de forma semelhante.

O estadiamento do câncer é uma maneira que os médicos usam para descrever a extensão do câncer, ao referir-se a um determinado caso e discutir suas possibilidades terapêuticas.

Como o estadiamento é realizado?

Os médicos precisam conhecer a extensão da doença e sua localização para poder definir as melhores opções de tratamento. O planejamento para tratar um câncer em estágio inicial pode consistir em cirurgia ou radioterapia, enquanto um tumor em fase mais avançada pode precisar ser tratado com quimioterapia. Os especialistas utilizam ainda o sistema de estadiamento para prever o curso da doença.

Os especialistas utilizam diferentes tipos de testes para determinar o estadiamento do câncer. Exames de imagem, como raios X, tomografia computadorizada, ressonância magnética, ultrassom e PET-Scan fornecem informações precisas sobre a localização da doença e sua disseminação.

Uma biópsia é necessária para confirmar o diagnóstico. Ela pode determinar se a imagem observada em um exame de imagem corresponde à disseminação da doença. Durante a biópsia, o médico remove fragmentos do tumor para serem estudados sob um microscópio. Algumas biópsias são feitas durante a cirurgia. Existem vários tipos de biópsias, nas quais o profissional remove pequenos fragmentos do tumor com auxílio de uma agulha fina ou endoscópio.

Tipos de estadiamento

O estadiamento é realizado quando um paciente recebe o diagnóstico inicial de câncer, antes de qualquer tratamento ser iniciado. Entre os principais estão:

Estadiamento clínico: trata-se de uma estimativa da extensão da doença com base nos resultados do exame físico, exames de imagem e biópsia de tumor. Para alguns tipos de câncer, os resultados de outros exames, como os de sangue, também são analisados. O estágio clínico é uma parte fundamental do diagnóstico para decidir o melhor tratamento a ser iniciado. 

Estadiamento patológico: se o tratamento cirúrgico foi realizado, os médicos podem determinar o estadiamento patológico ou estadiamento cirúrgico. Tem como base os resultados dos exames mencionados anteriormente, bem como o que foi observado durante a cirurgia. A cirurgia pode ser feita para retirar o tumor e os linfonodos próximos. Mas, às vezes, a cirurgia é realizada para ver o quanto a doença está disseminada e para retirar amostras de tecido. Oferece à equipe médica, informações mais precisas que podem ser utilizadas para prever a resposta ao tratamento e seus resultados (prognóstico).

Como oncologista ortopédico, o Dr. André Ferrari utiliza técnicas avançadas de diagnóstico e tratamento para garantir que cada paciente receba o cuidado necessário para prevenir e combater o câncer ósseo. Estamos prontos para te ajudar, é só entrar em contato

Leia também:Câncer nos ossos: quais os principais sintomas!

Este post foi útil?

Clique nas estrelas

Média / 5. Votos

Seja o primeiro a avaliar este post.


imagem que representa a logomarca do whatsapp